Se eu falasse japonês…


… meu Japão não seria assim.

Hoje deu vontade de chorar! Simplesmente, porque eu não consegui falar o quê e como eu queria e resolvi ficar calada, simplesmente, porque era mais fácil.

Fui devolver dois DVDs que aluguei ontem na Tsutaya – uma rede gigante de locadoras de vídeo e DVD daqui do Japão. Eu paguei adiantado, então, não deveria pagar nada na devolução, certo? Errado! Eu tive de pagar de novo! Perguntei pro atendente: “por quê?”

Ele explicou que eu deveria ter devolvido ontem até meia-noite. Eu disse “hai” (ok) e paguei. Mas eu queria ter perguntado pra ele: “meu senhor, como é que eu ia devolver esses dois DVDs ontem até meia-noite, se eu saí daqui com eles, ontem às 22h18?”

E ia dizer mais: “o senhor não tá vendo a minha cara de estrangeira? Não percebeu que eu entendo pouquíssimo de japonês? Então, não estava na cara que eu tinha me enganado? Custava me falar?”

Custava. Porque os atendentes japoneses têm a irritante mania de agirem como robôs. E os robôs, pelo menos por enquanto, não pensam.

Anúncios

17 Respostas para “Se eu falasse japonês…

  1. Já passei por situações parecidas, que caso o atendente estivesse envolvido com o atendimento e com uma pitadinha de boa vontade, seriam evitadas. Extremamente irritante esse costume que eles têm de fazer tudo no esquema linha de montagem!
    Mas, então, o filme foi bom?

  2. Fica assim não. O Paulo tem toda razão. São coisas que poderiam ser evitadas com “uma pitadinha de boa vontade” mas…depois que eu vi o cara comprando pó de café e a mulher perguntando “kochira de omeshiagari desu ka” (o senhor vai consumir aqui?), não me espanto com mais nada.

  3. Não entendi. Não é o computador que verifica o prazo de devolução? Foi o computador que leu errado? O atendente-robô a gente sabe que não pensa, mas eu achei que pelo menos o computador não errasse. Eu, hein!

  4. Momento de solidariedade aqui hoje, Karina… Sei exatamente o que vc sentiu, pois eu tambem ja’ passei por situacoes em que a gente nao consegue falar o que quer, explicar o que quer, expressar nenhuma opiniao… Da’ mesmo vontade de chorar, acho que e’ a unica coisa que resta nessa hora… Mas depois que passa a raiva a gente aprende e’ a rir dessas situacoes… Continue firme e forte nas aulas que daqui uns dias vc vai estar e’ dando aula de japones. Beijos.

  5. PARA PAULO
    pois eh, e ainda peguei um filme japones (assisti sem legenda!). eh que tenho esperanca de aprender por osmose : )

    mas eu adorei. vc vai rir: eh filme de adolescente e antigo, ainda por cima: nana. conhece?

    ah e o outro dvd era de seriado americano. pra eu treinar ingles 😀

    PARA KARUZO
    lembrei de vc na hora! e desse caso aih do cara que comprou po de cafe no starbucks e a mulher-robo perguntou se ele ia tomar la na loja. ninguem merece!

    PARA RAQUEL
    o computador nao errou. fui eu! o cara perguntou q dia eu queria devolver (mostrando o papel) e eu apontei errado (o papel tava cheio de kanji, claro). devo ter apontado “devolucao no mesmo dia”. sei la…

    PARA NAOMI
    vc sempre me dando forca ne? brigadissima! fiquei com vontade de chorar sim, mas nao desanimei nao. um dia eu aprendo essa lingua, pode deixar!

    bjinhos e “arigatou” PARA TODOS : )

  6. Quando você menos esperar vai estar falando como nativa, não desanima não.
    Agora fiquei imaginando; será que esses atendentes tem frases pré definidas pra falar com os consumidores, hehe imagina só:

    Atendente: Vai entregar quando?
    E tu: Qual data posso entrgar?
    E o atendente sem (+) nem (-): Arigato, volte sempre (o_O)” huahuahau
    bjão, boa semana.

  7. Para o alto e avante!

    bom, é assim que se aprende neh?
    Há males que vêm para o bem…

    não fica triste não. Garanto que da próxima vez vc não vai errar mais… espero!

    bjao
    Para o alto e avante!

  8. Gisele Scantlebury

    Kari, eu acho que faltou boa vontade sim talvez nao do que te atendeu na devolucao, mas o que te alugou o filme. Eu sempre alugo filmes na Tsutaya tambem e comigo acontece sempre deles automaticamente colocar o prazo de entrega com uma semana, que eh bem mais caro. Entao, eu sempre peco para tres dias e percebi que tres dias, na verdade, significam dois porque se voce pedir com um dia tem que entregar no MESMO DIA ate meia-noite. Entao, eu nao entendi porque eles te alugou um filme para ser entregue naquela mesma noite.

  9. Navegando na net descobri como o logo do http://www.expat-blog.com/ parece feito à sua medida e dos outros amigos brasileiros vivendo no Japão. Tem a bandeira brasileira lado a lado com a japonesa, mas o melhor é vêr.

  10. Não é no topo. É na lateral direita e em baixo.

  11. Acho que atendente devia ter tido mais atencoes com carinho pra com voce. Se fosse assim, voce nao ficaria com a vontade de chorar. Mas tenha pensamento positivo, aos poucos voce vai amontoar as riquezas de palavras japonesas, enfim, errar e a maneira de que se pode aprender mais cedo e assim nunca esqueceria, ne? Pelo menos para mim e assim mesmo…

  12. Karina,

    Se vc imaginasse a quantidade de situacoes contrangedoras q costumo passar por conta de meu japones miseravel e pela minha falta de atencao lamentavel, vc respiraria aliviada. 🙂 Mas tenho certeza q tudo pode servir com um estimulo para vc atingir seus objetivos. O orgulho ferido eh sempre um otimo combustivel.

  13. PARA TODOS
    hoje fui alugar outro dvd. na mesma tsutaya.

    ja aprendi a licao: perguntei, conferi e dessa vez (acho) que fiz tudo certinho 🙂

    como voces mesmo me disseram, eh assim que a gente aprende. e nao vale a pena desanimar. nem precisa chorar ne? hihihi…

    bjinhos!

  14. Oohh! Comadre! Liga pra essas coisas menores nao! A gente procura sempre extrair algo positivo, mesmo atraves das grosserias dos outros. Pois eu tenho um episodio quase semelhante, que aconteceu comigo em uma locadora na epoca em que eu trabalhava no predio da TV IPC em Azabu Juuban. Fui na locadora ali perto. Mas o cara pediu meu gaijin toroku e viu que eu morava bem longe de la. Argumentei que eu trabalhava a cerca de tres quarteiroes dali. Nada feito! Ele disse que eu nao poderia ser socio da locadora, so para moradores da regiao. Entao no dia seguinte voltei com um amigo que morava no bairro e era socio da locadora. Escolhi o video. O cara me reconheceu, fez uma cara feia e abaixou a cabeca. Mas o importante disso tudo foi que a fita que aluguei nesse dia era sobre a vida de um escritor americano chamado Henry Miller que morou em Paris. O filme se chama Henry and June, com Fred Ward, a portuguesa Maria Medeiros e a linda Uma Thurman. Por ter assistido esse filme, passei a admirar muito o Henry Miller. E o melhor, descobri que a ultima esposa dele foi uma japonesa pianista que tocava em Roppongi. E tem mais. Descobri tambem que havia um museu Henry Miller em Nagano. Entao percebi o quanto o Japao foi importante na vida do Miller, nao so Paris. Num feriado, fui ate o museu em Nagano e pude ver seus manuscritos originais e inclusive pinturas em aquarela que ele era muito bom nisso tambem. Vi tambem cartas originais que ele escrevia para a esposa japonesa. Perguntei para o curador das obras se ele conheceu a ultima esposa do Henry Miller, a japonesa. Claro!!! Me deu o folheto do piano bar em que ela tocava em Roppongi e fiquei com uma vontade louca de ir la. Mas o ambiente eh tao chique que entrei em choque. Ate hoje digo que vou la mas nao tenho coragem de gastar meus tostoes. Por isso me contento no Acaraje mesmo, C sabe disso ne comadre!! Entao colega, se eu tivesse desistido de alugar o video, nao teria conhecido nada desse universo Henry Milleriano. Conheci a vida do Henry Miller em Paris e por osmose, acabei conhecendo a influencia do Japao na vida dele. Valeu mesmo!!!

  15. Karina, que injusticia… imagino tu indignación. Pero estoy segura que pronto solo será una anécdota más, y llegarás a ese sitio hablando nihongo pera pera.

  16. PARA ANONIMO (OSNY)

    tem razao! mas nao se preocupe, nao deixei de frequentar a MESMA locadora por causa disso. e ateh ja fui atendida por uns carinhas mais atenciosos.

    PARA ANGELICA

    voce tambem tem razao. e eu sempre penso assim: “por outro lado, rende um bom post”. coisa de blogueira 😀

  17. Oiii!
    Não pude deixar de registrar alguns pontos em comum entre a gente.
    Encontrei o seu blog no google, enquanto procurava por endereços de locadoras de filmes japoneses aqui no Brasil.
    Meu nome tb é Karina, estou fazendo jornalismo e tb sonho em escrever livros algum dia! rsrsrs Tb tenho um blog onde registros alguns contos e textos sem sentidos tb rsrs!
    E, principalmente, AMO O JAPÃO. Nunca estive aí, mas meu irmão foi trabalhar como dekassegui, ficou aí por 3 anos e agora eu estou planejando ir em breve, se conseguir grana para isso! rsrs
    Comecei a fazer japonês na Aliança Cultural mês passado!! Estou adorando, apesar da dificuldade em identificar certos katakanas e ter esquecidos alguns hiraganas quando comecei a aprender katakana…Ixi, ñ quero nem ver quando entrarem os Kanjis rsrsrs!
    Amo Japão, amo a comida, amo as músicas (adoro SMAP rs), mas sei que devem exitir milhares de dificuldades, afinal, a cultura japonesa e a brasileira são muito diferente e muito chato isso o q aconteceu aí nessa locadora!

    Bom, acho que já escrevi muito para uma total desconhecida sua neh rsrs Mas realmente não pude deixar passar isso! Simplesmente estava navegando na net e encontro por acaso o seu blog!!

    Bem, eh isso!

    Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s