O nariz de Akutagawa

Uma das minhas resoluções de Ano Novo é terminar ou começar-e-terminar de ler todos aqueles livros que comprei e estão – aliás, estavam! – jogados pelos cantos.

Foi aí que descobri o tal nariz que o Kuni havia falado tão bem. O nariz é um dos Contos Fantásticos de Ryunosuke Akutagawa, famoso escritor japonês. Nasceu em 1892 e morreu aos 35 anos. Porque quis: ele se matou. É tão conceituado, que dá nome a um grande prêmio de literatura do Japão.

Mas voltando ao nariz, como diria Akutagawa, esse conto é muito divertido! Começa assim:

Em se tratando do nariz de Zenchi Naigu, não há pessoa em Ikeno’o que não o conheça. Tem mais ou menos quinze centímetros, começa acima do lábio superior e termina abaixo do queixo. Seu formato é constante da base à extremidade, sem alteração na grossura. É como uma grande lingüiça pendurada no meio do rosto.

Também adorei Sopa de cará. Mas assim como O nariz e todos os outros contos deste livro, acaba de repente. Dá vontade de saber mais, mas Akutagawa não conta. Por outro lado, faz a gente pensar, pensar, pensar… Vai ver era esse o objetivo dele. Não sei. Só sei que o texto é delicioso e que de cada história, a gente tira uma lição.

Seria correto afirmar que o protagonista da nossa história é um ser que veio ao mundo apenas para ser espezinhado, repelido, desdenhado? Um indivíduo sem nenhuma aspiração ou expectativa em relação à vida? Não, isso não seria correto. Goi cultivava, há uns cinco ou seis anos, uma predileção notável por algo chamado… sopa de cará.

Anúncios

14 Respostas para “O nariz de Akutagawa

  1. Oi, Karina
    Obrigada pelas dicas dos nomes! Eu já escrevi algumas mensagens para vc antes, umas 3 eu acho, mas em posts antigos, já que eu gostei tanto do seu blog que voltei ao início e escrevi algumas palavras por lá. Vc leu?
    Sopa de cará…Minha vó sempre assa bolo de cará. Seria o cará de origem asiática? Eu sempre achei que vc brasileiro!
    Abracos Su

  2. ops! Eu sempre achei que “fosse” brasileiro
    Como eu detesto reler meus comentários e achar erros de ortografia e neste caso uma palavra,ou melhor, abreviacao totalmente fora do contexto!(ainda mais agora escrevendo para uma jornalista,ui!)

  3. Oi Karina!
    Acompanho seu blog há alguns meses e adoro ler sobre suas experiências e o jeito que vc escreve. Tenho preguiça de comentar aqui. Sempre faço um comentário pra mim (!), mas hj pensei: se vc não tem feedback, como vc vai saber… A verdade é q vc tem sim, mas acho que sou uma das milhares de pessoas (admiradores do seu blog) que tem a tal preguiça de escrever ou de achar que é irrelevante fazer um comentário… Voltando ao motivo real, cá estou pra dizer que acho muito útil essa coisa de indicar literatura. Por favor, fale mais sobre outros títulos! É muito bom vindo de vc! Com certeza vou atrás desse livro de contos. É isso! Parabéns por tudo! 😀 Um abraço.

  4. Karina, o meu “nariz” preferido eh do Gogol, e nao esse do Akutagawa! A obra do Gogol tah naquele outro livro de contos fantasticos q vc comprou no ano passado, se nao me engano. De uma olhada!

  5. Olá moça!
    Tb estou tentando faz certo tempo terminar a minha lista de livros!Sei bem como é isso!
    Eu já tinha ouvido falar do livro e do autor, meu irmão havia comentado comigo!
    Adorei o post!
    Bjs pra vc!

  6. vitor, aquele do caderno de esportes

    Eu nao conheco muito de literatura japonesa. Preciso que me indiquem alguns titulos…Fico olhando aquele mndo de livros e nem faco ideia do que pode ser bom ou ruim.

  7. Não conheço o autor mas vou procurar ler. Penso que nunca foi editado em Portugal. Pelo menos numa pesquisa rápida (que fiz agora mesmo)não deu nada mas vou continuar à procura. O interessante é que encontrei o tal conto online aqui:
    http://paginas.terra.com.br/arte/ecandido/mestre14.htm

    É sempre bom conhecer e saber mais.

  8. Ótima dica! Existe todo um mundo riquíssimo escondido na literatura japonesa. A iniciativa do Afi de colocar o link para o conto online também foi demais! 🙂

  9. PARA SUSANA
    de nadinha! vou ver se faco um post sobre nomes japoneses 😛

    ah, vi sim seus comentarios! mas nao tive tempo de responder… desculpa 😦

    PARA EDNA
    serio? que bom! brigadissima e bem-vinda ao meu japao! realmente, pro blogueiro, o comentario faz diferenca. pelo menos pra mim. eu adoro essa interatividade com o leitor 😀

    e pode deixar que vou voltar a falar de livros sim! e filmes tambem ne?

    PARA KUNI
    hihihi, li o nariz errado! mas esse tambem eh muuuuito bom! voce ja deve ter lido ne. e pode deixar que vou atras do nariz certo 😛

    PARA VAL
    oi. que bom que gostou. e tomara que goste do livro tambem 🙂

    PARA VITOR
    acabei de emprestar esse livro pro dani. se voce quiser ler, te empresto tambem 😛

    PARA AFI
    eu gostei muito, mas muito mesmo do akutagawa. vou ver ateh se acho outros livros dele 😀

    e brigadissima pelo link! o que seria de mim sem a colaboracao dos leitores! valeu 🙂

    PARA PAULO
    que bom que gostou! e aceito sugestoes viu 😛

    bjinhos PARA TODOS 🙂

  10. Kaka, me empresta esse livro!

  11. Alo Comadre! Da outra vez fiquei anonimo por esquecimento. Entao aqui eh o compadre Osny de Hama. Olha, gostei de ver a capa do livro do Ryunosuke Akutagawa. Desde o Brasil que sempre acompanho a leitura desse escritor fantastico, do qual, a primeira obra que li foi Yabu no Naka (Dentro do Bosque), que serviu de roteiro para o filme do Kurosawa, Rashomon.
    Há cerca de 7 anos, ainda morando em Tokyo, uma vez desci em Tabata, uma estacao antes da minha. Era recomendacao medica, andar pelo menos uma vez por semana. Assim, descia uma estacao antes e ia caminhando pra casa.
    Certo dia vi um desenho do Akutagawa na rua perto da estacao Tabata. Surpresa! Descobri que ele havia morado perto dali. Após pesquisar com ajuda de amigos, descobri onde ficava a casa onde o escritor morou. Mas so havia restado o muro e a vegetacao, uma especie de folha-trepadeira agarrada no muro e que se chama sazanka (espécie de Camélia).
    Fiquei emocionado por estar no local onde outrora ficava a casa do Akutagawa, e foi la que ele escreveu suas melhores obras e tambem foi la que ele se suicidou em 1927.
    Indignado por não terem preservado o local, sai perguntando por que não conservaram a casa dele, por que não construiram um museu literario no local. Mas as bombas da Segunda Guerra não tiveram piedade. E a casa do Akutagawa foi destruida. Mas não sua obra!!!!
    Depois descobri que ao lado da estacao Tabata construiram um Museu Literario. Pois naquele bairro nos idos da decada de 20 e 30 havia uma colonia de artistas e grandes escritores e pintores la residiram.
    Visitei o museu e pude ver pertences pessoais do Akutagawa, manuscritos originais, fotografias. Há um filme de oito milimetros bem antigo, onde ele aparece na casa de Tabata onde ele morava. Não paga nada para ver, basta apertar o botao e a TV funciona na hora. Era como se ele ainda estivesse vivo e fosse voltar a qualquer hora. Perguntei para o curador do museu onde o Akutagawa costumava frequentar. Ele me ensinou o restaurante (soba-ya) onde o escritor fazia suas refeiçoes. Claro, fui la e sentei na mesa sob o pôster do Akutagawa. O dono do restaurante não conheceu o escritor pessoalmente, mas sabe da importancia deste literato.
    Sempre que podia, eu visitava o antigo local onde ficava a casa do Akutagawa, ou ia comer um soba. Descobri que o cemiterio onde ele esta enterrado tambem fica proximo de casa e fui la fazer uma oracao.
    Um dia o jornal espanhol me pediu para escrever uma materia sobre literatura japonesa. Não deu outra, escrevi Meu Vizinho Akutagawa. Eu morava a pouco mais de 500 metros de onde ficava a casa de um dos maiores escritores do Japao. O tempo não permitiu nos encontrarmos. Mas uma recomendacao medica me colocou no mesmo caminho que o escritor havia percorrido há mais de meio seculo…

  12. Ixi, acho que ficaria revolta em ler e não saber o final rsrsrs
    Nem fale em livros acumulados pra ler…Eu sempre tenho mais livro do que tempo, então vai juntando, juntando…rsrs

    Beijos

  13. PARA PAULETE
    ta com o dani!

    PARA OSNY
    que legal! nao sabia que voce eta taaao fa!

    PARA KARINA
    hihihi… mas eu prometi so comprar outro livro depois de ler todos que ja tenho. seja o que deus quiser 😛

  14. oi
    Gostaria da receita que eu conheço como Tororo…..minha mãe fazia….e agora estou com muita vontade de comer mas não sei fazer; quem tiver a receita manda pra mim
    onegaishimasu
    Arigato!!
    Lucia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s